Vicariato Suburbano

  1. CNBB estimula Jornada de Oração e Jejum pelo Brasil por ocasião do Dia da Pátria

    oracao brasilA Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) convida a todos para uma Jornada de Oração pelo Brasil, a ser realizada nas comunidades, paróquias, dioceses e regionais do país, de 1º a 7 de setembro próximo. Os bispos decidiram mobilizar os cristãos, por meio da oração, após a análise da realidade brasileira feita na última reunião do Conselho Episcopal Pastoral da entidade, dias 10 e 11 de agosto.

    O Dia de Oração e Jejum sugerido é o dia 7 de setembro, data que marca a Independência do Brasil. Além da carta, enviada a todos os bispos brasileiros, foi enviada também uma oração (confira abaixo), a mesma enviada por ocasião da celebração de Corpus Christi, com uma pequena adaptação na última prece.

    Segundo o bispo auxiliar de Brasília e secretário-geral da CNBB, dom Leonardo Steiner, a Jornada de Oração é uma oportunidade para que os cristãos e pessoas de boa vontade que querem um Brasil melhor, mais fraterno e não dividido se unam.

    “Nós estamos necessitados de um novo Brasil, mais ético; de uma política mais transparente. Nós não podemos chegar a um impasse de acharmos que a política pode ser dispensada. A política é muito importante, mas do modo do comportamento de muitos políticos, ela está sendo muito rejeitada dentro do Brasil. Nós esperamos que esse dia de jejum e oração ajude a refletir essa questão em maior profundidade.”

    Um dos trechos da oração, encaminhada a todos os bispos do país pelo Consep, pede:

    “Ajudai-nos a construir um país justo e fraterno. Que todos estejamos atentos às necessidades das pessoas mais fragilizadas e indefesas! Que o diálogo e o respeito vençam o ódio e os conflitos! Que as barreiras sejam superadas por meio do encontro e da reconciliação! Que a política esteja, de fato, a serviço da pessoa e da sociedade e não dos interesses pessoais, partidários e de grupos”.

    Veja a íntegra da oração:

    JORNADA DE ORAÇÃO PELO BRASIL

    Semana da Pátria
    1º a 07 de setembro de 2017
    07 de setembro – dia da Pátria: Vida em primeiro lugar

    “A paz é o nome de Deus” (Papa Francisco)

    Diante do grave momento vivido por nosso país, dirijamos nossa oração a Deus, pedindo a bênção da paz para o Brasil.

    Pai misericordioso, nós vos pedimos pelo Brasil!

    Vivemos um momento triste, marcado por injustiças e violência. Para construirmos a justiça e a paz, em nosso país, necessitamos muito do vosso amor misericordioso, que nunca se cansa de perdoar.

    Pai misericordioso, nós vos pedimos pelo Brasil!

    Estamos indignados, diante de tanta corrupção e violência que espalham morte e insegurança. Pedimos perdão e conversão. Nós cremos no vosso amor misericordioso que nos ajuda a vencer as causas dos graves problemas do País: injustiça e desigualdade, ambição de poder e ganância, exploração e desprezo pela vida humana.

    Pai misericordioso, nós vos pedimos pelo Brasil!

    Ajudai-nos a construir um país justo e fraterno. Que todos estejamos atentos às necessidades das pessoas mais fragilizadas e indefesas! Que o diálogo e o respeito vençam o ódio e os conflitos! Que as barreiras sejam superadas por meio do encontro e da reconciliação! Que a política esteja, de fato, a serviço da pessoa e da sociedade e não dos interesses pessoais, partidários e de grupos.

    Pai misericordioso, nós vos pedimos pelo Brasil!

    Vosso Filho, Jesus, nos ensinou: “Pedi e recebereis”. Por isso, nós vos pedimos confiantes: fazei que nós, brasileiros e brasileiras, sejamos agentes da paz, iluminados pela Palavra e alimentados pela Eucaristia.

    Pai misericordioso, nós vos pedimos pelo Brasil!

    Vosso filho Jesus está no meio de nós, trazendo-nos esperança e força para caminhar. A comunhão eucarística seja fonte de comunhão fraterna e de paz, em nossas comunidades, nas famílias e nas ruas.

    Pai misericordioso, nós vos pedimos pelo Brasil!

    Neste ano em que celebramos os 300 anos do encontro da imagem de Nossa Senhora Aparecida, queremos seguir o exemplo de Maria, permanecendo unidos a Jesus Cristo, que convosco vive, na unidade do Espírito Santo. Amém!

    (Pai nosso! Ave, Maria! Glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo!)

    Veja a íntegra da carta:

    Brasília-DF, 10 de agosto de 2017
    SG – Nº. 0500/17

    Prezado irmão no episcopado,
    Unidos para servir!

    Vivemos um momento difícil e de apreensão no Brasil. A realidade econômica, política, ética vem acompanhada de violência e desesperança.

    O Conselho Permanente, ao refletir o momento vivido, pediu que a Presidência enviasse carta ao irmão, sugerindo um Dia de jejum e oração pelo Brasil. Pediu igualmente que fosse enviada uma oração que pudesse ser rezada nas comunidades e famílias.

    O dia de oração e jejum sugerido é o dia 7 de setembro próximo. A oração que enviamos também em anexo é a mesma que rezamos no dia de Corpus Christi. Houve uma adaptação na última prece.

    Convidamos o irmão a incentivar a participação das comunidades e famílias no Dia de Jejum e oração pelo Brasil.

    Em Cristo, unidos para servir,

    Cardeal Sergio da Rocha                                     Dom Murilo S. R. Krieger
    Arcebispo de Brasília – DF                                          Arcebispo de São Salvador
    Presidente da CNBB                                                 Vice-presidente da CNBB

    Dom Leonardo Ulrich Steiner
      Bispo Auxiliar de Brasília – DF

    Secretário-Geral da CNBB

     

    Fonte: ArqRio

  2. Encontro Vocacional em Itaipava

    O Grupo Vocacional Arquidiocesano (GVA) realizou o 33º Encontro Vocacional Arquidiocesano (EVA), em Itaipava, no interior do Rio, de 24 a 28 de julho. O evento aconteceu no Centro de Estudos e Formação de Itaipava, na Fazenda São Joaquim das Arcas. Participaram cerca de 70 jovens de diversos vicariatos, com idade entre 15 e 28 anos. Segundo o monsenhor José Mazine, o organizador, o encontro começou no Vicariato Suburbano e depois começou a ser ampliado para os demais vicariatos.

    A celebração eucarística foi presidida pelo bispo animador da Pastoral Vocacional, Dom Roque Costa Souza, e concelebrada pelos padres formadores presentes.

    “Esse encontro é importante porque ao mesmo tempo em que fazemos o acompanhamento dos vocacionados que já estão no processo de discernimento nos grupos vocacionais dos próprios vicariatos, temos também a oportunidade de chamar outros jovens que têm curiosidade de conhecer o GVA, mas não podem frequentar por algum motivo”, explicou Dom Roque.

    Encontro Vocacional em Itaipava 2 03082017150931

    Atividades

    Na parte da manhã, as atividades do encontro foram voltadas para os conhecimentos religiosos e formação, tendo início com a Oração das Laudes, seguida de palestras. À tarde, os jovens tiveram uma programação esportiva com competições de futebol, corrida e circuito. É um momento de integração com pessoas dos outros vicariatos.

    “Esses encontros são importantes porque conseguimos observar o perfil de cada jovem e fazer com que ele pense sobre o chamado de Deus. Porque vocação não é restrita à vida profissional, ela existe também na vida espiritual. E nossa missão é ajudá-lo a acolher o chamado de Deus para ele”, afirmou monsenhor Mazine.

    Vocacionados

    O seminarista Paulo Diego Braga da Silva, um dos que colaboram na organização dos encontros, contou que discerniu a vocação com a ajuda do encontro e do GVA. Por isso, segundo ele, é gratificante ajudar aos jovens na descoberta da vocação. Ele começou a participar do encontro em 2011 e não parou mais.

    Daqui a três anos, será ordenado diácono e futuramente será mais um sacerdote da arquidiocese. Ele garantiu que continuará ajudando nos encontros vocacionais. “Estamos aqui tentando ajudar esses jovens num despertar vocacional para que eles possam um dia alcançar também o sacerdócio e, quem sabe, a santidade”, pontuou.

    Rafael Reis da Silva, de 28 anos, é da Paróquia Santa Rita de Cássia, em Turiaçu, e sentiu o chamado ao sacerdócio no ano passado. Para ele, é importante participar dos encontros para que consiga ter certeza de que é isso que Deus reservou para a vida dele. “Jesus Cristo, muitas das vezes, ia para o monte orar e procurar ter certeza do que era pra ser feito. Ele não decidia nada de uma hora pra outra: procurava estar em contato com Deus para decidir. Nós devemos fazer o mesmo”, afirmou.

    Colher os frutos

    O seminarista que será ordenado neste ano é o jovem Pedro Israel, que também ajuda na organização do evento. No dia 28 de outubro, começará a colher os frutos do tempo que passou se preparando para o sacerdócio.

    “Podemos comparar a preparação para o sacerdócio com o ato de semear porque é preciso cuidar, regar, colocar no sol, fazer tudo no tempo certo. Como o trabalho do discernimento vocacional um dia começou na minha vida, quando eu era bem mais novo, agora está chegando o momento de colher esses frutos. Eu sempre vejo um pouco dessas sementes sendo plantadas aqui nesses encontros, e rezo para que deem muitos frutos”, frisou.

     

    Fotos: Giselle Martello

    Fonte: ArqRio

  3. Conversas Suburbanas 2 - Ideologia de gênero: Longe de nós?

    O Conversas Suburbanas chega a sua 2ª edição, juntamente com o inicio da "Semana da Família",  onde a pastoral da comunicação e  pastoral familiar irão abordar o tema, Ideologia de gênero: Longe de nos?

    Para falar sobre este assunto, estarão presentes o casal Tatiana e Ronaldo Melo, coordenadores arquidiocesanos da Pastoral Familiar.

    Iniciaremos com a Santa Missa, abrindo a Semana Nacional da Família, e depois um bate papo leve e descontraído sobre o tema.

    Dia 12 de agosto às 8h30

    No Santuário da Divina Misericórdia.: Rua Divina misericórdia s/n, Vila Valqueire

    Leve um lanche para partilharmos!

     

     

  4. Não precisamos de horóscopos, vamos ao encontro das surpresas de Deus

    “Verdadeiro cristão não é quem se instala e permanece parado, mas aquele que confia em Deus e se deixa guiar para as surpresas do Senhor.” Papa Francisco

    abraao1Citando a Leitura, extraída do Livro do Géneses (Gn12,1-9), Francisco refletiu sobre Abraão, pois nele “há o estilo da vida cristã, o estilo nosso como povo”, baseado em três dimensões: o despojamento, a promessa e a bênção. “O Senhor exorta Abraão a sair do seu país, da sua pátria, da casa de seu pai”, recordou o Papa:

    “O ser cristão tem sempre esta dimensão do despojamento que encontra a sua plenitude no despojamento de Jesus na Cruz. Sempre há um vai, um deixa, para dar o primeiro passo: ‘Sai da tua terra, da tua família e da casa do teu pai’. Se fizermos memória veremos que nos Evangelhos a vocação dos discípulos é um ‘vai’, ‘deixa’ e ‘vem’. Também nos profetas, não é? Pensemos a Eliseu, trabalhando a terra: ‘Deixa e vem’.”

    “Os cristãos”, acrescentou o Papa, “devem ter a capacidade de serem despojados, caso contrário não são cristãos autênticos, como não são aqueles que não se deixam despojar e crucificar com Jesus. “Abraão “obedeceu pela fé”, partindo para a terra a ser recebida como herança, mas sem saber o destino preciso:

    “O cristão não tem um horóscopo para ver o futuro. Não procura a necromante que tem a bola de cristal, para que leia a sua mão. Não, não. Não sabe aonde vai. Deve ser guiado. Esta é a primeira dimensão de nossa vida cristã: o despojamento. Mas, por que o despojamento? Para uma ascese parada? Não, não! Para ir em direção a uma promessa. Esta é a segunda. Somos homens e mulheres que caminham para uma promessa, para um encontro, para algo, uma terra, diz a Abraão, que devemos receber como herança.”

    No entanto, enfatizou Francisco, Abraão não edifica uma casa, mas “levanta uma tenda”, indicando que “está a caminho e confia em Deus”, portanto, constrói um altar “para adorar ao Senhor”. Então, “continuar a caminhar” é estar “sempre em caminho”:

    “O caminho começa todos os dias na parte da manhã; o caminho de confiar no Senhor, o caminho aberto às surpresas do Senhor, muitas vezes não boas, muitas vezes feias – pensemos em uma doença, uma morte - mas aberto, pois eu sei que Tu me irás conduzir a um lugar seguro, a um terra que preparaste para mim; isto é, o homem em caminho, o homem que vive em uma tenda, uma tenda espiritual. Nossa alma, quando se ajeita muito, se ajeita demais, perde essa dimensão de ir em direção da promessa e em vez de caminhar em direção da promessa, carrega a promessa e possui a promessa. E não deve ser assim, isso não é realmente cristão”.

    “Nesta semente de início da nossa família” cristã, observou o Papa, aparece outra característica, a da bênção: isto é, o cristão é um homem, uma mulher que “abençoa”, que “fala bem de Deus e fala bem dos outros” e que “é abençoado por Deus e pelos outros” para ir para frente. Este é o esquema da “nossa vida cristã”, porque todo mundo, “também” os leigos, devemos “abençoar os outros, falar bem dos outros e falar bem a Deus dos outros”. Muitas vezes, acrescenta o Pontífice, estamos acostumados “a não falar bem” do próximo, quando - explica – “a língua se move um pouco como quer”, em vez de seguir o mandamento que Deus confia ao nosso pai” Abraão, como “síntese da vida”: de caminhar, deixando-se “despojar” pelo Senhor e confiando em suas promessas, para sermos irrepreensíveis. Enfim, concluiu Francisco, a vida cristã é “tão simples”.

    Fonte: Radio Vaticana

  5. Jovens católicos da Praça Seca preparam festival de evangelização

    Os jovens católicos da Praça Seca, bairro da zona oeste do Rio de Janeiro, estão em preparação para um importante evento no mês de setembro, seguindo os ensinamentos de São João Paulo II, onde o jovem deve evangelizar os outros jovens. Organizado pelo Movimento Vinde e Vede, com total apoio da Paróquia Nossa Senhora do Sagrado Coração e suas comunidades, o Festival Tocha Viva contará com a animação das bandas: Frutos de Medjougorje, Ministério Vinde & Vede e Loucos Por Jesus.

    Banda Frutos Divulgacao

    O Festival Tocha Viva será animado pela banda Frutos de Medjougorje, que tem como vocalista o Leandro, uma das vozes do hino oficial da Jornada Mundial da Juventude. As outras duas atrações serão a Banda Loucos Por Jesus, que apresenta repertório bastante variado e o Ministério Vinde e Vede, que propõe uma mistura das letras tradicionais da Igreja com diversos ritmos.

    O movimento Vinde e Vede nasceu na cidade de Ilhéus na Bahia e chegou até a capital carioca trazendo um olhar diferente para o cotidiano, aguçando no jovem a coragem para enfrentar os problemas. Paroquianos, amigos e familiares estão juntos no intuito de estruturar da melhor forma o festival.

    evento divulgacao

    - A missão da Igreja é evangelizar, ou seja, levar a boa notícia de Jesus. Seguir Jesus é viver a alegria do evangelho. Que este festival seja um momento de caridade e comunhão da juventude e de toda a paróquia. Desejo que através da música, muitos sintam-se atraídos pelo servir a Deus e aos seus filhos - disse o Padre Rafael, pároco.

    Para prestigiar e viver os momentos especiais do Festival Tocha Viva, o valor do ingresso é R$15 com combo de 4 ingressos por R$40, sendo que crianças de 8 a 12 anos pagam apenas R$8 e menos de sete anos não pagam. O evento acontecerá na Rua Interlagos, 99, na Praça Seca, às 16:00 do dia 16 de setembro.

    Colaborou na reportagem: Pascom N. S do Sagrado Coração